sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Visita de estudo à Valorminho



No dia 26 de Novembro, a E.B.1 de Dem, fez uma visita de estuda à Valorminho. Ficámos a saber que o nome da empresa significa valorização e tratamento de resíduos sólidos e que os resíduos dos concelhos de Melgaço, Monção, Valença, Vila Nova de Cerveira, Paredes de Coura e Caminha são depositados neste local.
A engenheira que nos guiou ao longo da visita explicou-nos que a empresa Suma transporta o lixo até à Valorminho, depois este é depositado num buraco especial (aterro sanitário). Este buraco é coberto no fundo por uma tela que impermeabiliza o solo, ou seja, impede que a água contaminada se infiltre no solo e provoque contaminação do mesmo e dos lençóis de água. Tem também tubos (dreno) que conduzem a água contaminada até à ETAR para ser tratada e os gases (biogás) produzidos pela decomposição dos lixos são sugados por um aspirador e vão ser queimados a 1100 graus para exterminar os gases poluentes. Quando o buraco fica cheio é coberto com uma tela que é tapada com terra e posteriormente são colocadas plantas.
Descobrimos que a Valorminho possui um Eco-Centro (onde é colocado o que pode ser reciclado e pode ficar ao ar livre, como por exemplo: pneus, madeira, vidro…) e uma estação de Triagem (onde é separado tudo o que é recolhido nos papelões e embalões por espécies, depois é tudo amassado e enfardado para mais tarde ser transportado para locais onde será reciclado).
A Valorminho possui uma ETAR com um sistema biológico de lamas activadas que só trata as águas do aterro. Esta é composta por: um tanque A1 que não deixa entrar o oxigénio; um tanque A2 onde as lamas (microrganismos que comem a sujidade da água) tratam a água; um decantador com 6 metros de profundidade e que no fundo tem um tubo que retira as lamas e as passa novamente para o tanque A2. As águas vão para outra ETAR onde terão um tratamento mais especifico. Há um laboratório onde se verifica se a quantidade de lamas é adequada, a esta análise chama-se Cofe e é executada num cone cofe, onde se mede a sedimentação da lama, o PH…
Adorámos esta visita de estudo, pois aumentámos os nossos conhecimentos e ficámos a perceber melhor o que acontece aos resíduos depois de os colocarmos nos bidões ou no Eco-ponto. Também ficámos orgulhosos de ver as telas que pintámos o ano lectivo transacto juntamente com os nossos colegas da E.B.1 de Venade no dia em que festejamos “O dia das Eco-Escolas” e mais orgulhosos ficámos em saber que o Sr. Director da Valorminho tinha escolhido uma delas para colocar na parede do seu escritório.
Trabalho escrito no Word por:
Eda - 2º ano
Sílvia -3º ano
Melanie - 4º ano
E.B.1 de DEM

Actividade Integradora

Durante o mês de Novembro trabalhámos uma história muito engraçada "os ovos Misteriosos” de Luísa Ducla Soares. Fizemos muitas actividades e após a exploração deste maravilhoso livro abordámos muitos conteúdos no âmbito da linguagem oral e abordagem à escrita e um pouco de matemática tas como:




Uns escreviam e outros colavam as frases já escritas no computador
Trabalho de equipa (cada um com a sua tarefa-previamente discutida em grupo)



Quadro para leitura/jogo de palavras que rimam com ladrão
Ordenar as frases -contar as palavras em cada frase

quinta-feira, 27 de novembro de 2008


A EB1 de RIBA de ÂNCORA FOI À HORA DO CONTO

No dia 25 de Novembro fomos à Ludoteca de Vila Praia de Âncora. Fomos à «Hora do Conto.»

O João e a Rita contaram-nos uma história escrita por José Jorge Letria e ilustrado por Joana Quental.

O nome da história era «O que eu quero ser…». Falava dos sonhos de muitas crianças que um dia gostariam de ser médicos, cozinheiros, polícias, professores, etc.

Nós também fomos convidados a dizer o que gostaríamos de ser quando formos grandes. A maioria dos rapazes disse que queria ser futebolista e as meninas cabeleireira.

A história foi muito bonita e interessante.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Aula sobre o fabrico de queijo, na EB1 de Riba de Âncora


No dia 20 de Novembro, fomos à Escola de Riba de Âncora, ver e fazer queijo. Quando chegámos lá, fomos para a cantina e, os meninos vieram receber-nos com os seus professores.

Depois, a menina Iria ensinou-nos a fazer queijo.

Para fazer queijo, é preciso ter leite, sal, coalho, uma panela, uma bacia, uma concha da sopa, um coador e uma forma de queijo.

Primeiro, aquecemos o leite a 30 graus, depois colocámos o coalho que foi dissolvido em água fria e esperamos 2 horas. A seguir, com a concha da sopa deitámos o leite coalhado pelo coador, para separar o queijo do soro. Na forma que estava pousada num prato, colocámos queijo escorrido e sal, até a forma ficar cheia. Por fim, é necessário ir escorrendo o soro e, ao fim de três dias, já temos queijo para comer.

EB1 de Afife

Visita de Estudo à AO NORTE


No dia 21 de Novembro, os alunos do 8ºC no âmbito da Área de Projecto, deslocaram-se até Viana do Castelo para assistir ao ciclo dos Clássicos Ingleses de cinema de animação e visitar as instalações da AO NORTE.
Estas sessões estão integradas no festival FestAfife, organizado pela AO NORTE - Associação de Produção e Animação Audiovisual de Viana do Castelo.

Alice no País das Maravilhas

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

EB 1/JI de Caminha - Colóquio sobre Energia proferido pela DECO

Ancorensis promove debate sobre o Empreendedorismo


No âmbito da Semana Global do Empreendedorismo, promovida pela iniciativa “Caminha Empreende” organizada pela Câmara Municipal de Caminha, realizou-se no passado dia 19 de Novembro um debate sobre o Empreendedorismo na Ancorensis.

Eram 14h30m quando arrancou, no bem composto auditório da Ancorensis, Cooperativa de Ensino, um debate sobre o Empreendedorismo que procurou sensibilizar a comunidade escolar para a importância de ser empreendedor no mundo actual.
Entre os oradores estavam Marcos Fernandes, do Gabinete de Apoio ao Empresário da Câmara Municipal de Caminha, Rui Pedro Caramez, da Ancorensis, João Pedro Fernandes, Presidente da Mini Empresa Iberos e António Presa, proprietário da empresa Cronograma.
A sessão começou com a intervenção do Prof. Rui Pedro Caramez que, com recurso a alguns vídeos, falou sobre os projectos da iniciativa Aprender a Empreender da Júnior Achievement Portugal, nos quais a escola está envolvida com duas mini empresas: a Iberos, representada no painel de oradores pelo seu presidente, e a Green World presente na plateia. O professor fez ainda uma breve referência ao programa Play!, um simulador de gestão de empresas.
Seguidamente foi a vez do Presidente da Mini Empresa Iberos intervir. João Fernandes explicou em 12 passos, como construir uma empresa e deu o exemplo do projecto que está a desenvolver juntamente com o seu grupo de trabalho de Área de Projecto do 12ºano.
Após isso, o Dr. Marcos Fernandes deu aos presentes algumas noções de empreendedor e empreendedorismo, explicando a sua importância nas nossas vidas, frisando que o empreendedorismo é hoje reconhecido como “uma das 8 competências chaves de aprendizagem”.
Por fim, António Presa falou em nome da Cronograma, explicando sucintamente toda a dinâmica de um projecto de sucesso que já leva 13 anos.










domingo, 23 de novembro de 2008

sábado, 22 de novembro de 2008

O Dia de S. Martinho na EB1 de Afife

No dia 11 de Novembro, Dia de S. Martinho, realizámos um magusto na nossa escola.

Para além de toda a comunidade escolar, participaram também, os nossos amigos mais idosos do Centro de Dia de Afife.

Fez-se a tradicional fogueira e foram assadas castanhas.

Representámos, para os nossos amigos do Centro de Dia, a peça de teatro a "Lenda de S. Martinho" e realizámos, em conjunto, algumas actividades ligadas à expressão plástica (pintura de vasos e dos tradicionais cartuchos para as castanhas).

Foi um agradável convívio e tal como lembra a lenda também o sol nos veio visitar.


Alunos da EB1 de Afife























sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Dia do Mar





No dia 18 de Novembro comemoramos o Dia do Mar e no âmbito do projecto ecoescolas fomos a Moledo ao Centro Cultural. Lá tivemos a oportunidade de conversar com um representante do Instituto de Socorros a Náufragos o qual nos esteve a alertar para as vantagens e desvantagens que o mar pode trazer. Também fez a simulação de uma salvamento de uma pessoa que estaria a afogar-se. As crianças assistiram com muito interesse. Posteriormente, tivemos também a oportunidade de conversar com uma bióloga do Aquamuseu de Vila Nova Cerveira que nos esteve a explicar o que existia no fundo do mar e o que os peixes comiam.




OS NOSSOS CARTAZES SOBRE O MUNDO INVISÍVEL DOS MICRÓBIOS

O Nosso Magusto no dia de S. Martinho

EB 1/JI de Caminha convida toda a Comunidade Educativa





Em contexto escolar Educar consiste em dotar as crianças e os jovens de conhecimentos, atitudes e valores que os ajudem a fazer opções e a tomar decisões adequadas ao tal bem-estar físico, social e mental. A ausência de informação incapacita e/ou dificulta a tomada de decisão. Daí, a importância da abordagem da Poupança de Energia em meio escolar.




No dia 11 de Novembro o Jardim de Infância de Caminha festejou o magusto juntamente com a Eb1 de Caminha. Participámos em todos os jogos propostos: Jogo da cabra cega, jogo do lencinho, jogo de tracção à corda, jogo da recolha do rebuçado, jogo do saco. Foi muito bom estarmos todos juntos, os meninos mais crescidos e os mais pequeninos. Saltamos à fogueira, cantamos canções e por fim comemos as castanhas. Correu tudo bastante bem e os professores e funcionárias estiveram muito divertidos. Foi mesmo um dia em cheio.
Esta comemoração visava principalmente preservar as tradições e promover a confraternização e convívio com outros níves de ensino.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

O Magusto na E.B.1 de DEM


A Castanha

No dia de São Martinho
há sempre muito carinho.
Então para as castanhas
há sempre um gostinho.

Estavam a assar castanhas
numa fogueira a saltar.
De repente uma grande fumarada
fez a gente chorar.

A castanha quentinha
sabe bem
na nossa barriguinha.

Eu conheci uma castanha
muito redondinha.
Quando olhava para a minha barriguinha
estava sempre gordinha.

Poema elaborado e escrito no Word por:
Andreia (1ºano)
Ana Rita (2ºano)
Sílvia (3ºano)
Lígia (4ºano)

E.B.1 de DEM

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Magusto - Jogos Tradicionais na EB1/JI Caminha

1. Barra do Lenço

Material: 1 lenço
Terreno dividido em duas partes.
Nº de participantes: duas equipas e um juíz
Objectivos: Conseguir fazer o máximo de pontos.
Regras: Cada jogador da equipa tem de ter um número diferente, sendo que os números correspondam ao número de jogadores da equipa.

Desenvolvimento: Cada equipa encontra-se no extremo oposto do terreno. O juíz coloca-se no meio do terreno, com o lenço na mão e chama um número. O jogador correspondente de cada equipa corre em direcção ao lenço e tente apanhá-lo. Neste caso verificam-se as seguintes hipóteses:
a) Se fugir com o lenço para o campo da sua equipa, sem ser tocado pelo adversário, marca um ponto.
b) Se fugir para o campo da equipa adversária, sem ser tocado, marca dois pontos

c) Se for tocado na posse do lenço pelo jogador adversário, é este que marca o(s) ponto(s).

video

2. Cabra Cega


A cabra-cega é um jogo recreativo (uma brincadeira, no Brasil) em que um dos participantes, de olhos vendados, procura adivinhar e agarrar os outros. Aquele que for agarrado, passará a ficar com os olhos vendados. Hoje em dia é um jogo infantil, mas na Idade Média foi um passatempo palaciano.
Neste jogo não há um número certo de jogadores e o material necessário é apenas uma venda para tapar os olhos da pessoa que faz de cabra-cega.
O jogo começa com os jogadores a fazer uma roda há volta da cabra-cega que está de joelhos e, claro, de olhos tapados, entretanto começam a falar dizendo este discurso:
- "Cabra-cega, donde vens?"
- "Venho da serra."
- "O que me trazes?"
- "Trago bolinhos de canela."
- "Dá-me um!"
- "Não dou."
Depois, começam todos a dizer "Gulosa, gulosa, gulosa,…" e a fugir, até que ela, ao apanhar alguém, terá de adivinhar quem é. Se assim for, essa pessoa passa a ser a cabra-cega. Antes de começar a apanhar, dá três voltas sobre si mesma, enquanto fogem os jogadores cantando:
"Cabra-cega! Cabra-cega! Tudo ri, mãos no ar, a apalpar, tactear,por aqui, por ali. Tudo ri! Cabra-cega! Cabra-cega! Mãos no ar, apalpando, tacteando, por aqui, por ali, agarrando o ar! Tudo ri…"
Se a cabra-cega sair do local, poderá ser avisada pelos jogadores da seguinte forma :
- "Cabra-cega o que perdeste?"
- "Fina ou grossa?"
- "Fina" ou "Grossa"
- "Então anda achá-la."

3. Corrida de Sacos



Corrida de Sacos - Material: Sacos de serapilheira ou plástico grosso, em número igual ao dos participantes.Jogadores: número variável.

Jogo: É marcado um percurso no chão com uma linha de partida e uma meta. Todos os concorrentes se colocam atrás da linha de partida. Ao sinal de partida, cada um entra para dentro do seu saco, segura as abas com as mãos e desloca-se em direcção à meta. Ganha aquele que chegar primeiro.Variantes: Equipas de três jogadores, colocando-se dois lado a lado, o terceiro enfia as pernas nos sacos onde os outros já se encontram metidos (um em cada saco), abraçando-os. As restantes regras são iguais às da corrida individual.

4. Tracção à Corda

Tracção à corda - Material: 1 corda e 1 lenço (deverá estar atado a meio da corda).
Jogadores: 2 equipas com o mesmo número de jogadores cada uma.

Jogo: Num terreno plano e livre de obstáculos, duas equipas com forças equivalentes, seguram, uma de cada lado e à mesma distância do lenço, uma corda. Entre as equipas, antes de começar o jogo, traça-se ao meio uma linha no chão. O jogo consiste em cada equipa puxar a corda para o seu lado, ganhando aquela que conseguir arrastar a outra até o primeiro jogador ultrapassar a marca no chão. É também atribuída a derrota a uma equipa se os seus elementos caírem ou largarem a corda. Não é permitido enrolar a corda no corpo ou fazer buracos no solo para fincar os pés.

5. Encontra o Rebuçado


Encontrar o rebucado numa bacia com farinha, assim que o conseguir regressa para a respectiva fila dando a vez ao colega que lá se encontra à espera.

No final de tudo... e depois de terem "suado a camisola", o merecido "descanso dos guerreiros" acompanhado de umas saborosas castanhinhas...

AEC´s EB 1 Caminha
Actividade Física Desportiva
Prof. João Filipe Silva